Protocolos de BDSM – Introdução e Conceitos

Quando falamos em PROTOCOLOS dentro do BDSM, temos a impressão que estamos mexendo em um imenso
vespeiro com as mãos nuas e sem nenhuma proteção. Falar de liturgia, ou de protocolos, sem exemplificar, se torna
muito abstrato.
Seja por desconhecimento, por comodidade, ou pela mais absoluta “ignorância”, os protocolos, NÃO SÃO a forma
definitiva de conduta procedimental, ritualística ou de qualquer outro aspecto dentro do BDSM, pois não existe uma
BÍBLIA, um CÓDEX, MALEUS MALEFICARUM ou MANUAL DEFINITIVO para esse assunto, pois cada comunidade,
cada Dominante, cada evento terá sua métrica.
No entanto isso não proíbe ou não inibe o conhecimento genérico, e que pode ou não se adaptar as suas necessidades
ou conhecimentos.
Você NÃO é obrigado a gostar dos protocolos. Você NÃO é obrigado a usar os protocolos.
Mas, todavia, contudo, permita-se ao menos conhecer e formar sua opinião agora embasada, se ainda não conhecer, e
se já conhece, permita-se outro ponto de vista.
Liturgia para alguns, protocolos para outros, não importa se você chamar de abacaxi. Neste ponto da troca de
conhecimentos, esta PRIMEIRA PARTE, vai exemplificar detalhadamente em 3 níveis de PROTOCOLO.
Esperamos que aproveitem com sabedoria.
📍 Caso tenha alguma dúvida, fique à vontade para fazer sua pergunta, caso essa não esteja dentro do
QUESTIONÁRIO referente ao TEMA DO DIA para não tirar o foco principal, e se for preciso, marque o ADM ou o colega
com @, para que assim que possível, possamos responder. Vamos debater sobre esse tema, sempre respeitando a
opinião e experiência de cada um.
Atenciosamente
Adm’s G.E.M.A. 😊